Sábado,07 de Dezembro de 2019 São 00h29

ECONOMIA CIDADES GERAL POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE ENTRETENIMENTO DESTAQUE SOCIAL EDITORIAL PUBLICAÇÕES

PÁGINA INICIAL

FALE CONOSCO

UFMT pode fechar as portas em setembro por falta de dinheiro

30/08/2019 - 08:24:19

Água, luz, telefone, segurança patrimonial, limpeza, Restaurante Universitário e Casas do Estudante. Manutenção de laboratórios e compra de materiais: a direção da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) pode ser obrigada a suspender todas as atividades, sem previsão de retorno.

Fonte do LIVRE assegura que a reitora Myrian Serra se reuniu com a diretoria da UFMT na última sexta-feira (23) e, na ocasião, teria avisado que a instituição só tem saldo em caixa para funcionar até o dia 31 de agosto.

De acordo com o que Myrian teria informado, caso o Governo Federal não repasse mais dinheiro, a universidade não será capaz de manter os compromissos firmados em contrato. As dívidas foram apresentadas em um slide, com a situação financeira da instituição.

Conforme os dados, a UFMT possui um gasto mensal de R$ 6,1 milhões com esses contratos.  No valor estão incluídos gastos com a vigilância, portaria e limpeza – além do Hospital Veterinário (Hovet).

A maior despesa mensal é contraída no campus Cuiabá, onde os valores somam R$ 3,37 milhões mensais. O valor equivale a 55,29% das despesas.

Ainda segundo a apresentação, até o fim do ano as dívidas chegam a R$ 15,7 milhões. E acrescidos os custos do Pasep, o valor chega a R$ 20,6 milhões. No entanto, a UFMT deverá receber, até dezembro, R$ 15,5 milhões.

Na avaliação da reitora – apresentada na reunião -, é possível que, a partir de setembro, haja novo corte de energia e água. A rescisão contratual dos demais serviços e a interrupção nas atividades acadêmicas também são consequências.

Outro lado

LIVRE tentou contato com a reitora Myrian Serra, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Fonte:Camilla Zeni-O livre