Segunda Feira,10 de Agosto de 2020 São 04h56

ECONOMIA CIDADES GERAL POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE ENTRETENIMENTO DESTAQUE SOCIAL EDITORIAL PUBLICAÇÕES

PÁGINA INICIAL

FALE CONOSCO

CRM-MT proíbe ex-BBB de exercer a Medicina por seis meses

31/01/2020 - 18:57:38

O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) proibiu o médico Marcos Harter de atuar como cirurgião plástico, bem como realizar atendimentos médicos, durante seis meses no Estado.

Harter é natural de Sorriso (420 km de Cuiabá) e ficou conhecido nacionalmente por suas participações nos programas “Big Brother Brasil”, da Rede Globo, e “A Fazenda”, da Rede Record.

A decisão foi tomada em reunião do conselho, por unanimidade, no dia 21 de janeiro. 

O edital de interdição não apontou qual o eventual desvio de conduta o médico possa ter cometido. No entanto, consta que há “prova inequívoca de procedimento danoso realizado pelo médico, com fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação”.

"[...] Foi deliberado por unanimidade, pela interdição cautelar total do exercício profissional do médio Marcos de Oliveira Harter, inscrito no CRM-MT sob nº 7554, pelo prazo de seis meses, contados a partir desta publicação, não podendo o referido médico, durante esse período, exercer atendimento e nem atos operatórios em pacientes”, consta em documento.

O cirurgião plástico responde a procedimentos administrativos (sindicâncias) dentro do CRM do Estado. Em março do ano passado, o conselho abriu investigação para apurar a conduta do profissional por comer dentro de uma sala de cirurgia, conforme uma foto publicada no Instagram.

Outro caso

No início deste mês, Harter foi alvo de críticas pelo Conselho catarinense após realizar uma “promoção” para mulheres que desejam colocar silicone em Florianópolis (SC).

O anúncio com valores de procedimentos é vedado por uma resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), que diz que preços só podem ser tratados dentro do consultório médico e negociados entre profissional e paciente.

Na descrição da postagem, o chamado “Projeto Silicone” tem o custo de R$ 6.950 e nele estão incluídas despesas com cirurgião e equipe, hospital, médico anestesista e a prótese.

Fonte:Cíntia Borges-Mídia News