Sexta Feira,15 de Novembro de 2019 São 22h16

ECONOMIA CIDADES GERAL POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE ENTRETENIMENTO DESTAQUE SOCIAL EDITORIAL PUBLICAÇÕES

PÁGINA INICIAL

FALE CONOSCO

AL encaminha proposta ao Governo para tentar encerrar greve

11/07/2019 - 08:08:10

O presidente da Assembleia Legislativa Eduardo Botelho (DEM) encaminhou nesta quarta-feira (10) ao governador Mauro Mendes (DEM) um ofício com uma proposta para reajuste dos salários dos professores a fim de encerrar a greve da categoria.

O documento, assinado por 18 deputados estaduais, sugere ao chefe do Executivo que conceda o aumento de forma escalonada.

Conforme o ofício, elaborado depois de uma reunião de deputados com integrantes do Sintep (Sindicato dos  Trabalhadores do Ensino Público) na manhã desta quarta, o aumento de 7,69% previsto na lei da dobra de salário seria dividido em três parcelas.

A primeira seria de 2,6% a ser paga na folha salarial de agosto;  a segunda (2,6%) entraria na folha de novembro e a última (2,49%) em fevereiro do ano que vem.

O documento informa que o pagamento da elevação salarial será possível em razão do incremento de receita verificado nos primeiros meses do ano e o previsto para os próximos meses.

Segundo os deputados, houve um incremento da receita estadual por meio do Fethab (Fundo Estadual de Transporte e Habitação) no primeiro quadrimestre no valor de R$ 282,2 milhões.

Ainda conforme os parlamentares, para o ano que vem existe uma expectativa de incremento na receita, a partir de janeiro, como resultado do projeto de lei de receitas oriundas de renúncia fiscal, estimadas em R$ 500 milhões.

“Considerando a inclusão da receita dos recursos do FEX (Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações)  no cálculo da receita corrente líquida”, consta no ofício.

A paralisação

Os professores estão em greve desde 27 de maio. Eles pedem que o Executivo cumpra a lei da dobra salarial, que foi aprovada em 2013, na gestão do ex-governador Silval Barbosa e que dá direito a 7,69% a mais anualmente na remuneração durante 10 anos.

Na segunda-feira (8), professores e representantes do Governo se reuniram na Justiça para tentar um acordo. Porém, não houve consenso e os professores voltam a realizar assembleia na sexta-feira (12).

 

Fonte:Midia News