Sábado,21 de Outubro de 2017 São 15h23

ECONOMIA CIDADES GERAL POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE ENTRETENIMENTO DESTAQUE SOCIAL EDITORIAL PUBLICAÇÕES

PÁGINA INICIAL

FALE CONOSCO

Candidatos denunciam supostas fraudes em concurso para delegado

09/10/2017 - 06:56:12

Uma das falhas teria sido cometida na abertura de envelopes com as provas

Candidatos a uma vaga de delegado em Mato Grosso que fizeram prova da primeira fase do concurso conduzido pela Cebraspe - Cespe/UnB neste domingo (8), na capital, denunciam falhas na aplicação do certame.

Uma das falhas teria sido cometida na abertura de envelopes com as provas. Eles estariam sem o devido lacre.

Outra falha é comprovada pela circulação nas redes sociais de uma foto da folha de gabarito, feita ainda no tempo regulamentar da prova, e, embora não estivesse marcada, o uso de dispositivos eletrônicos são, por edital, terminantemente proibidos. Outra foto circulante é de parte da prova.

Uma advogada que, conforme apurou a reportagem, é de fora do Estado, mas veio tentar uma vaga aqui, chegou a formalizar a denúncia no plantão do Ministério Público Estado (MPE).

A suspeita é de fraude e sendo assim o certame, que teve mais de 13 mil inscritos, corre o risco de ser anulado.

A disputa é por um salário inicial de R$ 19 mil.

“Aquele gabarito estava dentro da sala e o celular de quem fez a foto deveria estar lacrado, isso é regra em qualquer concurso, e não estava, então houve uma ineficiência da banca que aplicou a prova”, reclama uma candidata. “Vai ser anulado, não podia ter tirado foto do gabarito e mandado no whats, isso compromete a credibiidade do concurso, poorque se teve acesso ao celular a pessoa pode ter colado e não viram”.

Rapidamente informações sobre supostas fraudes viralizaram em grupos de whatsaap de concurseiros, que querem ser delegados. São vários grupos e eles arregimentam pessoas de diversas localidades do país.

Mediante esta situação, o Cebraspe emitiu nota afirmando que a aplicação das provas objetiva e dissertativa em Cuiabá “ocorreu com sucesso”.

Entidade ligada à Universidade de Brasília (UnB), explica que os envelopes de prova são de plástico e, no momento que são lacrados, podem acabar com leves rugas devido à cola utilizada. “O malote de provas, que carrega os envelopes até as salas, permaneceu com seu lacre de aço intacto até o momento da abertura frente aos candidatos”, diz trecho da nota.

Avisa também também que “candidatos que usarem celulares ou smartphones dentro das salas de provas, dentre outros aparelhos eletrônicos, serão eliminados do concurso”. Mas não explicou como vai chegar aos irregulares.

O Gazeta Digital procurou o MPE para saber se há de fato alguma denúncia formalizada. Mas não deu retorno até o fechamento desta matéria.

Confira íntegra da nota do Cebraspe

"O Cebraspe informa que a primeira fase do concurso público para o cargo de Delegado da Polícia Judiciária Civil do Mato Grosso (PJC/MT) – a aplicação das provas escritas objetivas e escrita dissertativa – ocorreu com sucesso em Cuiabá (MT).

Este Centro informa que os envelopes de prova são confeccionados de plástico e, no momento que são lacrados, podem acabar com leves rugas devido à cola utilizada. O malote de provas, que carrega os envelopes até as salas, permaneceu com seu lacre de aço intacto até o momento da abertura frente aos candidatos.

Quanto às imagens que circulam nas redes sociais, o Cebraspe ressalta que, conforme regras editalícias, os candidatos que usarem celulares ou smartphones dentro das salas de provas, dentre outros aparelhos eletrônicos, serão eliminados do concurso."

Fonte:gazeta digital