Terça Feira,19 de Novembro de 2019 São 19h51

ECONOMIA CIDADES GERAL POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE ENTRETENIMENTO DESTAQUE SOCIAL EDITORIAL PUBLICAÇÕES

PÁGINA INICIAL

FALE CONOSCO

Em Mato Grosso, mais de 88 mil estudantes devem participar do Enem

04/11/2019 - 06:23:37

Em Mato Grosso, mais de 88 mil estudantes devem participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. Neste ano, segundo o Ministério da Educação (MEC), os candidatos vão se deparar com regras mais rigorosas para realizar as provas nos próximos dois domingos (3 e 10 de novembro). Com isso, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pela aplicação, listou mais de 30 itens que podem levar à desclassificação. O rol inclui fazer a prova com caneta que não seja esferográfica, transparente e de tinta preta, emissão de som de equipamento eletrônico mesmo lacrado, entre outros.

Segundo o Mec, a medida tem o objetivo de garantir ainda mais segurança ao maior exame de acesso ao ensino superior do país. Além da cor da caneta, outros itens que podem eliminar candidatos no Enem são: não permitir que o lanche levado seja vistoriado pelo aplicador da sala; prestar declaração falsa ou inexata (em qualquer documento); permanecer no local de provas sem documento de identificação válido; utilizar qualquer dispositivo eletrônico no local de provas, por exemplo, laptop e celular; entrar na sala de provas com o telefone celular e/ou quaisquer outros equipamentos eletrônicos fora do envelope porta-objetos; não manter aparelhos eletrônicos (celular, tablet, etc) desligados no envelope porta-objetos até a saída definitiva da sala de provas; e se o aparelho eletrônico, ainda que dentro do envelope porta-objetos, emitir qualquer tipo de som, como toque de ligação ou alarme.

Também há regras referentes ao local de prova e aplicação que podem resultar na eliminação, como perturbar, de qualquer modo, a ordem no local de aplicação das provas; utilizar, ou tentar utilizar, meio fraudulento em benefício próprio ou de terceiros em qualquer etapa do exame; utilizar livros, notas, papéis ou impressos durante a aplicação do exame; sair da sala com o cartão de respostas ou outro material de aplicação - com exceção para o caderno de questões depois de duas horas do início da prova e se a saída for definitiva; entregar o cartão de respostas ao aplicador e ir embora definitivamente antes de duas horas de aplicação; e não aguardar em sala de provas, das 13h às 13h30 (horário de Brasília) para procedimentos de segurança, exceto para a ida ao banheiro acompanhado por um fiscal; usar óculos escuros, boné, chapéu, viseira, gorro ou qualquer acessório que cubra os cabelos ou as orelhas; portar, na sala de provas, objetos proibidos pelo edital do Enem, como lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borracha, régua, corretivo, wearable tech, calculadoras, entre outros e, não permitir que os artigos religiosos, como burca, quipá e outros sejam revistados.

A programação do exame segue o horário oficial de Brasília. Com isso, os candidatos do Amazonas, Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Roraima vão realizar as provas até duas horas antes do horário da capital do Brasil. Em Mato Grosso, além de Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e parte do Amazonas, por exemplo, a abertura dos portões acontece às 11 horas e o fechamento às 12 horas. O início das provas está marcado para às 12h30 e o término às 18 horas. Em todo país, a prova acontece em 1.727 municípios.

Vale reforçar que é proibida a entrada do participante, no local de prova, após o fechamento dos portões. O Enem, que ocorre em dois domingos, 3 e 10 de novembro, é composto por quatro provas objetivas, com 180 questões, e uma redação. O local de prova pode ser acessado pela “Página do Participante”, na internet, ou pelo aplicativo do Enem para celular. Inep recomenda que os participantes levem o cartão de confirmação impresso nos dois dias de prova. Em nível nacional, mais de 5 milhões de candidatos vão fazer o exame. Do total de inscritos, 88.122 são do Estado, sendo 24,8 mil (28,2%) de Cuiabá e 7,8 mil (8,9%) de Várzea Grande.

Fonte:Diário de Cuiabá