Quinta Feira,21 de Novembro de 2019 São 00h06

ECONOMIA CIDADES GERAL POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE ENTRETENIMENTO DESTAQUE SOCIAL EDITORIAL PUBLICAÇÕES

PÁGINA INICIAL

FALE CONOSCO

Estudando para o Enem? Conheça o curso que empresas de MT pagam para você fazer

27/10/2019 - 09:39:59

O setor que movimenta a economia de Mato Grosso está em busca de um novo tipo de profissional: alguém que entenda de tecnologia e consiga transformar os dados fornecidos pelo maquinário agrícola ultratecnológico em informações simples que vão orientar, por exemplo, onde e quando plantar ou colher o que.

A demanda é tão grande que sete empresas do agronegócio que atuam no Estado se uniram para bancar a formação de uma turma inteira. São 33 bolsas de estudo – além de bolsas-auxílio de R$ 1 mil – para quem escolheu cursar agrocomputação.

O curso é inédito em Mato Grosso – só existe um semelhante em São Paulo – e, de acordo com Rubens de Oliveira, diretor acadêmico da Fatec Senai – onde as aulas são ministradas –, foi desenvolvido com a participação das empresas interessadas nesse profissional.

Quem se forma, vai atuar no ramo da “agricultura de precisão” e “gestão de propriedades rurais”. E apesar de esses termos fazerem parecer que se trata de um agrônomo “high tech”, Oliveira afirma que está muito mais para um analista de sistemas do campo.

“Tem uma parte de ele entender uma propriedade rural, como funciona o equipamento agrícola, o plantio e a colheita. Mas existe uma outra parte que é a de tecnologia da informação: Internet das coisas, banco de dados, inteligência artificial, big data, ciência de dados”, ele explica.

No fim do curso, quem se forma deve estar capacitado para orientar o gerente ou proprietário da fazenda a tomar decisões. Tudo embasado em informações que são geradas por equipamentos agrícolas que já estão em uso, mas cujos dados ainda não são explorados como poderiam.

O salário inicial desses profissionais, ainda de acordo com Oliveira, varia de R$ 2,5 mil a R$ 3,5 mil. O diretor acadêmico acredita, contudo, que conforme a experiência no mercado de trabalho for acumulada, a remuneração poderá progredir para algo entre R$ 6 mil e R$ 12 mil.  

Onde fazer?

Quem ingressar no curso de agrocomputação deve sair formado – com diploma de nível superior – em três anos. A exceção é para a turma que terá início nesta segunda-feira (28).

Segundo Rubens de Oliveira, a urgência das empresas pelos profissionais era tanta que a Fatec Senai criou uma turma extraordinária de período integral.

Os alunos vão estudar nos períodos da manhã e da tarde para se formar na metade do tempo. São eles que estão sendo pagos para se formar.

“Tem empresa que já contratou o aluno como estagiário. Outras já tinham o funcionário e estão pagando a mensalidade e deixando a pessoa estudar o dia inteiro”, explica o diretor acadêmico.

Por enquanto, o curso está sendo ministrado exclusivamente em Rondonópolis (220 km de Cuiabá), mas em fevereiro uma nova turma será aberta na Capital. No total, 50 vagas estarão disponíveis.

Fonte:Laura Nabuco- O Livre