Domingo,12 de Julho de 2020 São 08h32

ECONOMIA CIDADES GERAL POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE ENTRETENIMENTO DESTAQUE SOCIAL EDITORIAL PUBLICAÇÕES

PÁGINA INICIAL

FALE CONOSCO

Mendes critica falta de apoio de Bolsonaro a MT na pandemia

26/06/2020 - 07:08:32

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM) criticou, na manhã desta quinta-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pela falta de apoio a Mato Grosso durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo o gestor, é preciso uma "liderança do governo federal, não só de recursos", nesse momento de crise.

Mendes fez as críticas ao presidente durante a reunião virtual da Comissão Mista da Covid-19 no Senado. Ele representou o Consórcio Brasil Central, do qual é presidente e o Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão e Rondônia.

"Temos feito tudo o que podemos, todos os governadores e prefeitos mais responsáveis estão fazendo. Precisamos somar esforços, precisamos da liderança do governo federal, não só de recursos", afirmou Mauro durante a reunião da comissão.

O governador lembrou que além da falta de liderança, Mato Grosso não pode contar com a ajuda da União para enfrentar a pandemia, pois desde a quantidade de testes para diagnosticar a doença foi mínima diante da demanda.

"Com relação a testagem, mandaram um pouquinho de testes, não é representativo. Tomamos providência, compramos 500 mil testes, vamos aplicar, deve chegar na próxima semana e vamos atingir meta de testar 20% da população. Em relação aos testes PCR, temos uma máquina em comodato com o Ministério da Saúde, venceu o contrato e o Ministério não renovou. Demos nossos pulos e renovamos capacidade", relatou Mendes.

Ele também citou que uma das maiores dificuldades atualmente dos estados é a compra de medicamentos, por causa do aumento dos preços no mercado. "Falta medicamento, preços explodiram e gestores tem medo de comprar e ter que responder por improbidade".

Para encontrar soluções e ter respaldo no Ministério da Saúde, o governador argumentou que é preciso ter estabilidade na pasta, especialmente durante a pandemia. "Trocar 3 ministros da saúde em um período tão crítico não é algo razoável. Espero que o governo federal possa pacificar isso, para encontrar soluções".

E que, diante do cenário financeiro negativo, é preciso que o governo federal movimente a economia, com grandes obras. "Para sair da crise temos que ativar iniciativa privada. Investir em infraestrutura, em um grande programa de habitação popular. Nesse momento o governo federal deveria estar capitaneando e gerando muito emprego".

Fonte:Thalyta Amaral- Gazeta Digital