Sábado,08 de Agosto de 2020 São 07h47

ECONOMIA CIDADES GERAL POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE ENTRETENIMENTO DESTAQUE SOCIAL EDITORIAL PUBLICAÇÕES

PÁGINA INICIAL

FALE CONOSCO

Trabalhadores de diversas categorias param na sexta

09/11/2016 - 14:33:31

Trabalhadores de várias categorias devem parar nesta sexta-feira (11), em Cuiabá, engrossando o movimento que ocorrerá em todo o país contra a reforma da previdência. A expectativa é que 2500 profissionais participem do ato público pelos direitos dos trabalhadores. 

 

Greve geral

 

De acordo com o secretário de finanças da Central Única dos Trabalhadores (CUT), o ato é um preparativo para a greve geral que pode se instaurar em todo o país caso as demandas dos trabalhadores não sejam atendidas.

 

“Estivemos reunidos com o Ministério Público para que intervenha contra a PEC 241 e também para tratar sobre os atrasos nos salários e na reposição salarial dos servidores públicos, mas até agora nem o Ministério Público nem o Estado se manifestaram” , informou.

 

A programação do movimento na Capital contempla concentração na Praça Ipiranga, a partir das 15h30, onde haverá panfletagem e fala de líderes sindicais. De lá os manifestantes seguiram em caminhada para a Praça Alencastro e retornando para o ponto de partida.

 

“Todos os trabalhadores formais e informais, servidores públicos ou não estão convidados a integrar o movimento. A categoria da educação saiu há pouco de uma greve de 67 dias se nada mudar, depois do dia 11 iremos nos reunir em assembleia e possivelmente haverá nova greve geral”, afirma.

 

De acordo com a assessoria da Cut estão entre as demandas de reivindicações dos trabalhadores:

Congelamento de gastos

Aprovada no dia 25 de outubro na Câmara, a PEC 241, que no Senado mudou para PEC 55, prevê o congelamento dos investimentos públicos para os próximos 20 anos. A medida irá impactar diretamente nos recursos destinados pela União a áreas como saúde e educação, já que os repasses o Orçamento serão reajustados apenas de acordo com a inflação do ano anterior. 

 

Pré-sal

A aprovação do Projeto de Lei (PL) 4.567/2016 altera o papel da Petrobras na exploração do pré-sal. Além de não ser mais operadora única, a empresa também não terá direito ao mínimo de 30% da produção, conforme previa lei aprovada durante o governo Lula. Com o argumento de adequar a empresa a suas dívidas e abrir o mercado a novos investidores, a medida fará regredir toda a cadeia produtiva desenvolvida a partir da descoberta do pré-sal no país, com prejuízo do desenvolvimento e inovação tecnológica, além de fazer o país voltar a ser mero exportador de matéria-prima. 

 

Reforma da Previdência

Uma das medidas anunciadas como prioridade por Temer, a reforma da Previdência deve aumentar a idade mínima de aposentadoria para 65 anos e igualar a idade entre homens e mulheres e entre trabalhadores do campo e da cidade. Outra medida que pode prejudicar os aposentados é que a proposta de Temer prevê a vinculação dos benefícios da previdência aos reajustes de salários mínimos.

 

Terceirização

O PL 4.330, que foi aprovado na Câmara e tramita no Senado como PLC 30, prevê a terceirização irrestrita das atividades-fim nas empresas. Se aprovado também pelos senadores, o projeto autorizará a precarização do trabalho e praticamente anula a importância da CLT na proteção aos direitos dos trabalhadores, já que as empresas contratantes de mão de obra terceirizada ficarão desobrigadas de cumprir as leis trabalhistas. 

 

Corrupção

Quando assumiu, Temer fez questão de discursar contra a corrupção. Porém, desde então, três ministros de seu governo já foram afastados por suspeita de envolvimento em corrupção: Romero Jucá (Planejamento), Fabiano Silveira (Transparência, Fiscalização e Controle) e Henrique Alves (Turismo). Além disso, o presidente retirou o caráter de urgência da tramitação do pacote de medidas anticorrupção, que foi elaborado pela equipe de Dilma Rousseff e enviado ao Congresso.

Fonte:JESSICA BACHEGA