Domingo,18 de Novembro de 2018 São 08h02

ECONOMIA CIDADES GERAL POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE ENTRETENIMENTO DESTAQUE SOCIAL EDITORIAL PUBLICAÇÕES

PÁGINA INICIAL

FALE CONOSCO

Voto em trânsito: veja quem pode e quem não pode votar no segundo turno

Eleitor que estiver fora do seu domicílio eleitoral só poderá votar se tiver feito requerimento
15/10/2018 - 14:46:22

O segundo turno das eleições deste ano ocorre dia 28 de outubro, domingo. O eleitor que estiver fora do seu domicílio eleitoral e quiser votar, por exemplo, para Fernando Haddad (PT) ou Jair Bolsonaro (PSL), candidatos à Presidência da República, só poderá se tiver feito o requerimento do voto em trânsito até o dia 23 de agosto.

A votação em trânsito é feita por quem está fora de sua cidade e só pode ser feita apenas em capitais e municípios com mais de 100 mil eleitores. Quem fez o requerimento dentro do prazo -já encerrado- cadastrou-se para o primeiro e o segundo turnos da eleição.

Pode votar para qual cargo?

O eleitor que estiver fora de seu estado pode votar em trânsito somente para presidente da República.

Já o cidadão que estiver em uma cidade diferente do seu local de votação, porém dentro do Estado, está apto a votar para os cargos de presidente e governador.

Em Mato Grosso (MT), por exemplo, não vai ter segundo turno para o cargo de governador. Nesse caso, o eleitor que solicitou o voto em trânsito vai votar apenas para presidente da República.

Quem se cadastrou e não vai estar no local indicado?

O eleitor que se cadastrou para votar em trânsito para presidente e que, por um imprevisto, não poderá comparecer ao local indicado no dia da votação por estar em outro município, diferente daquele indicado para votar em trânsito, poderá justificar ausência em qualquer local de votação.

Pode realizar o voto em trânsito em outro país?

O voto em trânsito não é permitido em urnas instaladas em outros países. Entretanto, eleitores com título eleitoral cadastrado no exterior, e que estiverem em trânsito no território brasileiro, poderão votar na eleição para presidente da República.

Fonte:Victor Cabral- O livre