Quinta Feira,06 de Agosto de 2020 São 08h45

ECONOMIA CIDADES GERAL POLÍCIA POLÍTICA ESPORTE ENTRETENIMENTO DESTAQUE SOCIAL EDITORIAL PUBLICAÇÕES

PÁGINA INICIAL

FALE CONOSCO

Arma disparou quando menina guardava arma a pedido do pai, garante advogado

15/07/2020 - 06:20:24

Oadvogado de defesa da família da adolescente, autora do disparo acidental que ocasionou a morte Isabeli Guimarães Ramos, 14 anos, no último domingo (12), no condomínio Alphaville, em Cuiabá, advertiu que as informações que estão sendo noticiadas estão erradas. 

De acordo com Rodrigo Pouso Miranda, o disparo foi causado quando a jovem, a pedido do pai, guardava a maleta da arma e ela caiu no chão, não enquanto a jovem manuseava a arma com a amiga.

Segundo Miranda, a adolescente guardava a arma em um dos cômodos, no andar superior e a vítima estaria no banheiro próximo a este cômodo.  Ao guardar o case, ele teria caído no chão, e ao tentar devolver a pistola no lugar Isabele vinha em sua direção, neste momento a arma teria disparado contra ela e atingido sua cabeça.

“Ela foi guardar a arma no case de volta, abaixou, pegou a arma e, quando tentava colocá-la de volta a arma disparou acidentalmente. Essa é a única verdade que existe”, ressaltou Miranda.

Para o advogado, não há o que se omitir dos fatos, ele ressalta ainda que as penalidades serão aplicadas a cada um conforme a Lei, mas reforça que a informação precisam ser passada corretamente. “Ninguém está omitindo nada. Todos vão responder criminalmente, tanto o pai, quanto ela”, afirmou o advogado.

“Ninguém está omitindo nada. Todos vão responder criminalmente, tanto o pai, quanto ela”
Prática esportiva

Sobre a prática esportiva de tiro, Miranda disse que justamente por este fato a jovem sabe as normas e procedimentos de segurança que envolvem o manuseio de armas. “Toda família pratica tiro, ela estava no esporte há 4 meses, e sempre foi orientada quanto aos perigos. Sabe os riscos e sabe dos cuidados”, explicou.

Ainda sobre as informações dadas que a adolescente e a amiga manuseavam a arma, o advogado disse que a jovem nunca mudou a versão dos fatos sobre o ocorrido e reforçou a amizade entre as meninas.

“Elas eram melhores amigas, de dormir juntas uma na casa da outra. A família toda está abalada”  comentou o advogado.

Fonte:RD News